Você está aqui Mundo Educação Química Curiosidades Químicas Diferença entre desodorantes, antitranspirantes e antiperspirantes

Diferença entre desodorantes, antitranspirantes e antiperspirantes

Diferença entre desodorantes, antitranspirantes e antiperspirantes
Você sabe escolher qual é o melhor para o seu caso: desodorante, antitranspirante ou antiperspirante?

Nas prateleiras dos supermercados e farmácias existem uma infinidade de produtos destinados a resolver o problema do mau cheiro do suor em nosso corpo, principalmente, na região das axilas. Existem desodorantes, antitranspirantes e antiperspirantes, sendo que ainda tem mais opções, tais como em creme, aerosol, spray e roll-on. Como escolher o que é melhor para o seu caso?

Bom, se você é uma pessoa que não transpira muito e quer apenas diminuir o odor desagradável, um desodorante pode resolver os seus problemas. A finalidade do desodorante, como o próprio nome diz, é desodorizar, ou seja, acabar com o odor.

Isso é interessante quando nós passamos a conhecer a constituição de nosso suor. Na realidade, ele tem uma função importantíssima, que envolve manter a temperatura corporal, porque quando ele evapora, o corpo é resfriado, ele também mantém a pele hidratada e  elimina metabólitos. Além disso, ele não possui cheiro, pois é praticamente água (99%), o restante são íons como potássio, cloreto, sódio, amônio, ácidos carboxílicos de baixa massa molar, ureia e outros componentes. No entanto, em nossa pele, existem bactérias que decompõem algumas substâncias do suor, produzindo outras de odor desagradável, principalmente ácidos carboxílicos.

Sabendo disso, o desodorante possui substâncias químicas, principalmente o triclosan, cuja fórmula estrutural está representada abaixo, que são capazes de inibir o crescimento das bactérias na pele, mascarando assim o cheiro ruim.

Fórmula do triclosan, componente ativo da maioria dos desodorantes

Os desodorantes podem também apresentar outros componentes, como álcool e essências. Por isso, a exposição ao sol da axila com desodorante (ou com qualquer produto que contenha álcool) pode provocar manchas e o escurecimento da pele.

Agora, se você transpira bastante e gostaria de além de acabar com o mau cheiro também eliminar aquela sensação desagradável e incômoda do suor, a saída é o uso de antitranspirantes. Os antitranspirantes funcionam como inibidores da transpiração e mantêm o corpo relativamente seco. A mesma função têm os antiperspirantes, pois a palavra “perspirar” significa “transpirar insensivelmente em toda a superfície”.

Assim, nem todos os desodorantes têm ação antitranspirante, mas a maioria dos antitranspirantes tem também ação desodorante, porque eles também contêm substância que mascaram o odor.

Desodorante antiperspirante sendo aplicado

O principal componente ativo dos antitranspirantes é o cloridrato de alumínio, cujos cátions Al3+ coagulam as proteínas, formando estruturas bloqueadoras que provocam o fechamento dos dutos das glândulas sudoríparas, reduzindo a produção do suor. Por causa disso, existe o risco de obstrução dos poros e inflamação da glândula. Algumas pessoas podem apresentar ainda irritação a componentes derivados do alumínio.

Recentemente, informações têm sido divulgadas dizendo que esses sais de alumínio e seus derivados usados em antitranspirantes estariam causando câncer de mama nas mulheres. A explicação que seria dada para isso é que o alumínio pode ser absorvido pelo organismo e se acumular.

Porém, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) divulgou um Parecer Técnico sobre o Uso de Antitranspirantes e sua Relação com Câncer de Mama, indicando que até o presente momento ainda não foram apresentadas provas e dados capazes de confirmar essa relação. Mas, pesquisas nessa área continuam a ser feitas.

Agora, quanto ao tipo mais adequado para cada pele, necessidade e gosto, veja as dicas abaixo:

1. Creme: É o que mais hidrata a pele, por isso, se você depila as axilas com lâmina, essa é a melhor opção;

2. Roll-on: Esse tipo de desodorante não é muito indicado por ter contato direto com a pele, podendo ser contaminado;

3. Spray: No caso de desodorante ou antitranspirantes spray, eles se apresentam na forma líquida podendo causar ardência na pele;

4. Aerosol: É o que seca mais rapidamente de todos, mas, além de poder causar irritação na pele, manchas nas roupas, o líquido dele vem sob forte pressão combinado com gases. Aí que mora o maior perigo: temos de tomar cuidado para que o desodorante ou antitranspirante em aerosol spray que compremos não contenha os gases CFCs (clorofluorcarbonos), pois eles são gases poluidores que agravam o problema do efeito estufa e do aquecimento global.

Uma informação importante também é que se usarmos substâncias básicas como o leite de magnésia e talcos com bicarbonato de sódio, isso provocará a morte das bactérias e também acabará com o mau cheiro nas axilas. Para mais informações sobre os benefícios de se usar o leite de magnésia como desodorante caseiro, leia o texto: “Leite de Magnésia acaba com odor nas axilas”.

Assuntos Relacionados



Deixe seu comentário para

Diferença entre desodorantes, antitranspirantes e antiperspirantes








2 comentários

Faça seu Login

  • domingo | 17/08/2014 | Rosa
    Usuário

    Os antitranspirantes são acusados de bloquear os dutos de suor e, consequentemente, evitar a excreção de toxinas, que finalmente, alcançam os gânglios linfáticos, causando células cancerosas. Esta é uma afirmação biologicamente incorreta; as toxinas do corpo são excretadas principalmente pelo fígado, pulmões e rins. Além disso, os gânglios linfáticos não estão ligadas às condutas de suor e nunca apresentaram depósitos de toxinas. O teor de alumínio em antitranspirantes, juntamente com outros ingredientes, foram acusados de causar efeitos nocivos a longo prazo, no entanto, o uso de antitranspirantes é tão comum, que os governos de todo o mundo têm realizado uma extensa pesquisa sobre a segurança desses produtos e estes foram declarados completamente seguros.

  • domingo | 17/08/2014 | Rosa
    Usuário

    Odaban elimina a transpiração excessiva de forma eficaz e em qualquer parte do corpo. A insolubilidade do complexo de alumínio formado com as proteínas da pele é tal que a absorção de alumínio pelo corpo é impossível. Portanto, é completamente seguro usado a longo prazo e até mesmo em crianças e durante a gravidez. Há vários anos que estão a circular histórias de horror na internet sobre a relação entre cancro, Alzheimer e o uso de antitranspirantes. Não há nenhuma evidência para fundamentar o raciocínio por trás dessa teoria, que se baseia numa compreensão imperfeita do papel da transpiração na regulação da temperatura do corpo.