Você está aqui Mundo Educação Química Química Nuclear Aplicação da Radioatividade na Medicina

Aplicação da Radioatividade na Medicina

Aplicação da Radioatividade na Medicina
A radioatividade é aplamante utilizada na medicina

A radioatividade tem larga aplicação em nossa sociedade; portanto, na medicina não poderia ser diferente. A forma de radiação mais conhecida em diagnósticos médicos é a radiografia dos ossos através do uso de raios X. Além disso, usam-se isótopos para diagnósticos, tratamentos e detecção de drogas e hormônios no organismo.

Na medicina, é comum introduzir no organismo de alguns pacientes radioisótopos artificiais, denominados radiotraçadores. Eles recebem esse nome porque, ao serem transportados pelo corpo da pessoa, emitem radiações que permitem seu monitoramento, sabendo por onde passaram e onde se depositaram. Isso permite que o radiologista faça um mapeamento de órgãos.

Um exemplo de radioisótopo é o iodo-131 que é usado no tratamento de câncer de tireoide, pois, por se acumular nesse órgão, suas radiações gama destroem as células cancerígenas. Abaixo temos um quadro com exemplos de outros radioisótopos e sua utilização na medicina:

Exemplos de radioisótopos usados na medicina

Além disso, é possível produzir imagens para os médicos analisarem, pois as radiações beta e gama incidem sobre filmes fotográficos. As imagens também são geradas por radioisótopos emissores de pósitrons e assim é possível detectar se a lesão em questão é benigna ou maligna.

Um tomógrafo usado para esse fim é o PET, sigla que vem do inglês, pósitron emission tomography, isto é, Tomografia por Emissão de Pósitron. O paciente submetido a esse exame recebe uma injeção com radioisótopo emissor de pósitron ligado a uma molécula que tem afinidade com o órgão do paciente que será estudado. Normalmente o radioisótopo utilizado é o flúor-18 com período de meia-vida de apenas 108 min. Ao redor do paciente estarão detectores de radiação que detectarão a emissão de ondas eletromagnéticas dos pósitrons que colidem com os elétrons. Dessa forma, o órgão é mapeado.

Esquema da tomografia por emissões de pósitron

É claro que para cada caso deve haver uma avaliação médica criteriosa que decidirá se o benefício será maior que o risco, visto que a radiação também pode danificar células boas.

Assuntos Relacionados



Deixe seu comentário para

Aplicação da Radioatividade na Medicina








9 comentários

Faça seu Login

  • segunda-feira | 12/08/2013 | jacilene souza
    Usuário

    execelente.pois explica bem

  • quarta-feira | 07/11/2012 | Igor Muniz
    Usuário

    Gostei muito, linguagem clara e objetiva , ajudou muito nos meus estudos . Uma observão positiva tambem foi essa imagem com o radisotopo e uso medico .Parabéns !

  • terça-feira | 06/11/2012 | herica
    Usuário

    eu gotei muito bom esta pagina,pesquisei.

  • sexta-feira | 02/11/2012 | junio santos
    Usuário

    muito bom mi ajudol bastante nisso e qui eu tenho qui fazer um trabolho de quimica ; brigadão!!