Você está aqui Mundo Educação Literatura Poesia Concreta

Poesia Concreta

                                                                                                     

A poesia concreta surgiu com o Concretismo, fase literária voltada para a valorização e incorporação dos aspectos geométricos à arte (música, poesia, artes pláticas).

Em 1952, a poesia concreta tem seu marco inicial através da publicação da revista “Noigrandes”, fundada por três poetas: Décio Pignatari, Haroldo de Campos e Augusto de Campos.

Contudo, é em 1956, com a Exposição Nacional de Arte Concreta em São Paulo, que a poesia concreta se consolida como uma nova e inusitada vertente da literatura brasileira.

O poema do Concretismo tem como característica primordial o uso das disponibilidades gráficas que as palavras possuem sem preocupações com a estética tradicional de começo, meio e fim e, por este motivo, é chamado de poema-objeto.

Outros atributos que podemos apontar deste tipo de poesia são:

- a eliminação do verso;
- o aproveitamento do espaço em branco da página para disposição das palavras;
- a exploração dos aspectos sonoros, visuais e semânticos dos vocábulos;
- o uso de neologismos e termos estrangeiros;
- decomposição das palavras;
- possibilidades de múltiplas leituras.

A comunicação através do visual era a forma de expressão de todas as poesias concretas. No entanto, houve particularidades que diferenciavam os poemas deste período em tipos de poesias. Vejamos:

● Poesia-Práxis: movimento liderado por Mário Chamie, que a partir de 1961 começou a adotar a palavra como organismo vivo gerador de novos organismos vivos, ou seja, de novas palavras.

● Poesia social: movimento de reação contra os formalismos da poesia concreta, os quais eram considerados exagerados por um grupo de artistas. Estes lutavam para o retorno e a inclusão de uma linguagem simples e de temas direcionados à realidade social. Artistas como Ferreira Gullar e Thiago de Mello foram adeptos dessa visão.

● Tropicalismo: movimento advindo do universo musical dos anos 67 e 68, que retomava as propostas de Oswald de Andrade com o Manifesto Antropófago e adotou o pensamento de aproveitar qualquer cultura, independente de onde viesse.

● Poesia Marginal: surgiu na década de 70 e é chamada de “marginal” porque não possuía vínculos com editoras ou distribuidoras para edição e/ou publicação, ou seja, era produção independente.

Os principais poetas concretistas são: Décio Pignatari , Augusto de Campos e Haroldo de Campos.


                                                                                    Augusto de Campos, 1962.

Assuntos Relacionados



Deixe seu comentário para

Poesia Concreta








42 comentários

Faça seu Login

  • terça-feira | 02/09/2014 | Pablo, a voz...
    Usuário

    O pior tipo de poesia que existe. Mó briza

  • segunda-feira | 16/06/2014 | Mi
    Usuário

    eu amei! me ajudou muito, espero que possa ajudar a muitos também! excelente

  • quinta-feira | 05/06/2014 | keth
    Usuário

    um maximo uru

  • quarta-feira | 14/05/2014 | Andrezza Ribeiro
    Usuário

    Eu simplesmente amo a poesia concreta. É tão linda, te faz pensar e trabalha a nossa criatividade. É tudo de bom <3