Você está aqui Mundo Educação História Geral Idade Média Povos Germânicos

Povos Germânicos

Povos Germânicos
Os povos germânicos dominaram o Antigo Império Romano.

A crise do Império Romano imprimiu um novo quadro de situações históricas que marcaram o fim da Idade Antiga. A insustentabilidade do regime escravista e o enfraquecimento dos exércitos abriram portas para que outros povos integrassem o decadente mundo romano. Foi nesse contexto que os chamados povos bárbaros surgiram na passagem da Idade Antiga para a Medieval.

Os romanos, por desprezarem a cultura desses povos, os chamavam de bárbaros. Ao contrário do julgamento da cultura romana, os bárbaros eram constituídos por uma grande diversidade de povos dotados dos mais diferentes costumes. Ao invadirem os domínios romanos, os povos bárbaros transformaram e, ao mesmo tempo, criaram novas instituições políticas, econômicas e culturais.

Sob o aspecto econômico, os germânicos adotavam as trocas naturais e o uso coletivo da terra. Tal característica enfraqueceu as intensas relações comerciais desenvolvidas durante o Império Romano. Com a retração do comércio, as atividades agrícolas, a caça e a pesca ganhavam grande destaque. As terras pertenciam a um grande chefe guerreiro que coordenava o processo de exploração das mesmas. Tal processo de apropriação criou uma classe camponesa dependente de tais proprietários.

Sem dominar grandes técnicas de cultivo agrícola, os bárbaros faziam um uso itinerante das terras, utilizando-as até o total esgotamento da mesma. Mulheres e escravos eram responsáveis pelo cultivo e o pastoreio. Sem desenvolver uma luxuosa cultura material, os germânicos usavam roupas feitas a partir da pele dos animais e residiam em cabanas rústicas.

Os povos germânicos tinham uma organização social patriarcal. O homem ocupava o posto de chefe familiar responsável pelas principias decisões referentes à casa, aos conflitos e as terras. Sem contar com bases políticas centralizadas, as tribos germânicas desfrutavam de grande autonomia política. Apenas em determinadas ocasiões, como durante uma guerra, que as tribos selavam acordos entre si.

Um dos grandes traços da cultura germânica desenvolvia-se entre o chefe militar e seus guerreiros. Em tempos de guerra, os soldados e chefes militares formavam o comitatus. O comitatus consistia em uma relação de fidelidade onde o comandado jurava total obediência ao chefe militar, que se comprometia em proteger os seus soldados.

A religião dos povos germânicos caracterizava-se pela adoração de vários deuses e alguns elementos da natureza. Odin era uma das principais divindades germânicas. Além disso, o pensamento religioso germânico pregava a fé em um paraíso além-vida chamado de Valhalla. Esse paraíso abrigaria os grandes guerreiros que teriam uma vida de prazeres ao lado das valquírias, um grupo de jovens guerreiras virgens.

Durante toda a Alta Idade Média, vários reinos germânicos formaram-se por toda a Europa. A partir do século V, a fusão entre os traços da cultura germânica e alguns costumes remanescentes da cultura romana deu formas ao mundo medieval. As relações de fidelidade e a predominância das atividades agrícolas de subsistência são parte do legado germânico no período medieval.

Por Rainer Sousa
Mestre em História

Assuntos Relacionados



Deixe seu comentário para

Povos Germânicos








65 comentários

Faça seu Login

  • terça-feira | 21/10/2014 | Magnes Lettiere
    Usuário

    Quais são os aspectos culturais ?? ( Lombardos ) .

  • quinta-feira | 20/03/2014 | gabriel
    Usuário

    mt bom!! obg

  • terça-feira | 07/01/2014 | Ana...
    Usuário

    Obrigada pelas informações! São claras e objetivas. Me ajudou bastante :)

  • segunda-feira | 15/04/2013 | mario jose
    Usuário

    gostei continue assim.