Você está aqui Mundo Educação História Geral Idade Contemporânea A independência do Congo Belga

A independência do Congo Belga

A independência do Congo Belga
O Congo ainda sofre com problemas gerados por sua trágica herança colonial.

No século XIX, a ação imperialista belga se estabeleceu na região do Congo, na parte central do continente africano. Em 1885, o domínio belga nessa região foi confirmado na chamada Conferência de Berlim, quando o rei Leopoldo II transformou o extenso território em sua propriedade pessoal. No ano de 1908, o território congolês voltou a ser controlado pelo governo, recebendo o nome de Congo Belga. Até a década de 1940, o território colonizado experimentou uma fase de relativa prosperidade econômica.

Chegando à década de 1950, observamos que a população congolesa passou a aderir o discurso nacionalista de lideranças locais que exigiam o fim da dominação belga no território. Em 1955, uma visita oficial do rei Balduino I reforçou o sentimento autonomista ao não atender as várias demandas sociais, políticas e econômicas da população nativa. Nesse instante, uma associação chamada Abako entrou em evidência e logo se transformou em um partido político defensor da independência definitiva.

Em 1957, o fracasso das eleições municipais alimentou ainda mais o sentimento autonomista. No ano seguinte, o Congresso Pan-Africano fortaleceu as lideranças nacionalistas, entre os quais se destacava o congolês Patrice Lumumba. No ano de 1959, a radicalização das manifestações acabou forçando o reino belga a reconhecer a independência congolesa. No ano seguinte, foi inaugurado o Estado Livre do Congo, tendo como presidente Joseph Kasavubu e Lumumba no cargo de primeiro-ministro.

A conquista dos congoleses foi logo ameaçada pelo movimento de independência ocorrido na província de Katanga, onde soldados e mercenários belgas instituíram um violento conflito a serviço da empresa Union Minière. Sem contar com o apoio da Organização das Nações Unidas, Lumumba foi deposto do cargo e preso. A partir de então, várias facções dissidentes se formaram com o objetivo de assumir o governo do país.

Mediante as tensões geradas pela violenta guerra civil – agravada pelo assassinato de Lumumba – a ONU interferiu no país e repassou, em 1964, o governo congolês para Moisés Tshombe, um antigo apoiador de Katanga. A ação acabou não surtindo efeito esperado, já que, no ano seguinte, um golpe político impôs uma ditadura pessoal liderada por Mobutu Joseph Désiré. Esse regime ditatorial perdurou até 1997, quando Mobutu foi retirado do poder por uma guerrilha liderada por Laurent-Désiré Kabila.

A partir de então, o país, que era chamado de República do Zaire, passou a ser nomeado como República Democrática do Congo. Até hoje, o Congo enfrenta sérios desafios não somente relacionados ao fortalecimento de suas instituições políticas. Uma antiga crise econômica, as disputas étnicas e as facções políticas rivais completam a formação desse quadro de difícil resolução.

Assuntos Relacionados



Deixe seu comentário para

A independência do Congo Belga








4 comentários

Faça seu Login

  • segunda-feira | 22/10/2012 | Dhjessica Bressan
    Usuário

    Ajudou muiito no trabalho de história...:)

  • terça-feira | 17/04/2012 | emilly
    Usuário

    poow muiito boom , me ajudou pakas no trabalho de história

  • quarta-feira | 21/09/2011 | lula
    Usuário

    muito bom me ajudou no trabalho.................

  • terça-feira | 12/04/2011 | DILMA
    Usuário

    MUITO BOM