Era Vargas
Vargas negociou em um cenário político que se tornava cada vez mais diverso.
O ano de 1930 marcou o desenvolvimento de um processo revolucionário que quebrou a hegemonia política que se desenhava no Brasil desde os primórdios do regime republicano. Apesar de significativa, a mudança não determinou uma profunda ruptura capitaneada por parcelas significativas da população nacional. Na verdade, a chamada Revolução de 1930 nos aponta uma espécie de rearranjo determinado pelas mudanças vividas na estrutura social e econômica do país.

Desde a década de 1920, as oligarquias sofriam com a pressão dos militares participantes do movimento tenentista e da crise econômica gerada pela retração dos negócios firmados no mercado externo. Nesse meio tempo, ficava claro que não seria possível se sustentar uma estrutura de poder focada no incentivo à agroexportação e no favorecimento dos grandes proprietários de terra. Os centros urbanos cresciam e, junto deles, uma nova leva de grupos portadores de outras demandas.

No desenvolver da revolução, podemos ver que os participantes da Aliança Liberal e Getúlio Vargas se esforçaram para conquistar o apoio desses grupos urbanos, principalmente dos tenentes e dos trabalhadores assalariados. Entretanto, vemos que os mesmos também se apoiavam na figura de grandes proprietários que se mostravam insatisfeitos com a hegemonia paulista e mineira no governo federal. Dessa forma, não podemos relacionar o evento a um episódio marcado por grandes transformações.

O que vemos na Revolução de 30 e ao longo da própria Era Vargas é que novos grupos teriam espaço em um cenário político que assumia feições cada vez mais heterogêneas. Operários, empresários, comunistas, profissionais liberais, militares, integralistas determinaram uma nova realidade onde o centro de decisão e debate político se voltava para os grandes centros urbanos da nação.

Não por acaso, as leis trabalhistas, o desenvolvimento do setor industrial, a criação de empresas estatais marcaram essa mudança de enfoque econômico. Ao mesmo tempo, o café e outros produtos da pauta agroexportadora também foram privilegiados com a criação de institutos e conselhos destinados à ampliação e ao comércio desses produtos. Alçando novos voos, campo e cidade deveriam compor um organismo harmônico na produção de riquezas.

No âmbito político, Vargas se tornou um forte líder populista apoiado pela disseminação do corporativismo entre os trabalhadores. Através da propaganda educativa do governo, disseminada pelos vários meios de comunicação (dando grande destaque ao rádio), Vargas colocou o trabalho e o patriotismo como sustentáculos imprescindíveis ao desenvolvimento. Para deter seus opositores, Vargas desarticulou setores de esquerda (ANL) e direita (AIB) através do golpe que implantou o Estado Novo, em 1937.

Chegando em 1945, o ditador Getúlio Vargas escapou de sua própria derrocada política após ter lutado na Segunda Guerra contra os regimes totalitários. Resguardou a sua imagem política ao abolir seu próprio regime. Transformado em peça chave para o retorno da democracia, acabou ganhando as eleições presidenciais em 1951. Nesse novo mandato, não suportou as pressões que o colocaram entre o nacionalismo trabalhista e o atendimento à burguesia industrial atrelada ao capital estrangeiro.

Mesmo com o trágico suicídio, ocorrido em 1954, Vargas deixou seu nome marcado no desenrolar da República Brasileira. Assumindo posturas dúbias e articulando o apoio de setores antagônicos, ele conseguiu promover uma carreira política cercada pelo interesse de vários setores da sociedade. Mesmo demonstrando habilidade, não se adaptou ao acirramento das posições políticas no pós-Segunda Guerra.

Artigos de "Era Vargas"



Deixe seu comentário para

Era Vargas








5 comentários

Faça seu Login

  • quarta-feira | 09/05/2012 | Dede Felipe
    Usuário

    Esse texto explica de forma resumida e bem melhor que os meus livros da escola e a minha professora juntos . Mundo Educação está de parabéns por ter textos tão explicativos e educativos !!

  • terça-feira | 24/01/2012 | jeiel
    Usuário

    adorei o texto

  • terça-feira | 24/01/2012 | jeiel oliveira...
    Usuário

    adorei aprendi muito com esse texto e os links nem se fala, otimo obrigado

  • terça-feira | 06/12/2011 | Felipe
    Usuário

    Também achei muito bom principalmente os artigos que têm um link !!