Você está aqui Mundo Educação Geografia Geografia Física Camadas da Terra

Camadas da Terra

As camadas da Terra são uma classificação elaborada cientificamente para auxiliar a compreensão sobre a estrutura interna do nosso planeta.

Camadas da Terra
A estrutura interna da Terra é segmentada em várias camadas

Durante muito tempo, o ser humano acreditava que, por dentro, o planeta Terra era maciço, composto basicamente por rochas. Atualmente, é sabido que, na verdade, apenas uma camada muito fina da superfície apresenta essa característica, havendo composições e temperaturas diferentes nos milhares de metros existentes abaixo do solo.

Para melhor compreender como tudo isso funciona e organiza-se, a estrutura interna da Terra foi classificada em três principais camadas: a crosta, o manto e o núcleo, havendo entre elas algumas descontinuidades: a de Mohorovicic e a de Gutenberg. Juntas, essas camadas atingem 6.370 metros entre a superfície e o centro do planeta.

As camadas da Terra e suas descontinuidades
As camadas da Terra e suas descontinuidades

Crosta Terrestre:

A crosta terrestre é a primeira das camadas da Terra, sendo também a menor e mais “fina” entre elas. Sua profundidade oscila entre 5 km (em algumas áreas oceânicas) e 70 km (em zonas continentais).

Essa camada é subdividida em crosta superior, também chamada de camada sial, e crosta inferior, chamada de camada sima. A primeira é composta predominantemente por silício e alumínio (o que explica a sua denominação) e abriga as formas de relevo e todas as atividades humanas realizadas sobre a superfície terrestre. Já a segunda é composta por silício e magnésio e pode ser melhor visualizada em regiões oceânicas, onde a camada sial não existe ou é muito fina.

Apesar de ser a camada mais fria da Terra, a crosta pode apresentar uma temperatura próxima aos 1000ºC em determinados pontos.

Manto:

O manto terrestre posiciona-se abaixo da descontinuidade de Mohorovicic, que fica abaixo da crosta. É a mais extensa das camadas da Terra e sua profundidade máxima alcança os 2.900 km, ocupando cerca de 80% do volume total do planeta. Sua composição é de silicatos de ferro e de magnésio, e as rochas encontram-se em forma de material pastoso chamado de magma, por causa do calor advindo do interior da Terra, com temperaturas médias de 2.000ºC.

O manto superior é mais pastoso que o inferior e está em movimentação. Em virtude da força exercida por esses movimentos, seus efeitos são sentidos na crosta terrestre, causando o movimento das placas tectônicas.

Núcleo:

O núcleo terrestre, posicionado abaixo da descontinuidade de Gutenberg e abaixo do manto, é o mais quente das camadas da Terra e também é dividido em exterior e interior. Sua composição predominante é o NIFE (níquel e ferro).

O núcleo externo encontra-se no estado líquido, enquanto o núcleo interno encontra-se no estado sólido, por causa da extrema pressão aplicada sobre ele. As temperaturas oscilam entre 3.000 e 5.000ºC. Em razão de o núcleo externo ser uma “bola” maciça cercada por uma esfera líquida, seu movimento de rotação é mais rápido do que o da Terra, o que ajuda a explicar as origens e os efeitos do magnetismo do nosso planeta.

Como o ser humano sabe tanto sobre o interior da Terra?

Obviamente, o ser humano nunca visitou pessoalmente o interior do nosso planeta. O ponto mais profundo já escavado alcançou “incríveis” 12 km de profundidade e foi batizado de Poço Superprofundo de Kola, na Rússia, em um trabalho empreendido pela extinta União Soviética. Atualmente, no entanto, há um trabalho em desenvolvimento para uma perfuração que pretende alcançar o manto terrestre.

As informações atualmente existentes sobre a estrutura interna da Terra devem-se ao estudo das propagações sísmicas que ocorrem nas camadas inferiores e que são captadas por um aparelho chamado de sismógrafo, o mesmo que mede a intensidade dos terremotos.

Você já sacudiu uma caixa para ter noção do que tem dentro dela? Pois é isso o que o sismógrafo faz, aproveitando-se principalmente dos terremotos e abalos sísmicos menores que ajudam a “chacoalhar” o planeta. Obviamente, a precisão do aparelho é muito alta e torna-se cada vez melhor à medida que se sucedem os avanços tecnológicos, oferecendo-nos dados mais precisos sobre como funciona o mundo abaixo dos nossos pés.

Artigo relacionado
Teste agora seus conhecimentos com os exercícios deste texto

Assuntos Relacionados



Deixe seu comentário para

Camadas da Terra








213 comentários

Faça seu Login

  • quinta-feira | 18/09/2014 | jessica
    Usuário

    poxa parece mais para um trabalho educacinal né gente eu achei isso muito legal botei ate para meu trabalho de ciencias muyito legal né gente

  • domingo | 07/09/2014 | ever
    Usuário

    não entendi o final do texto. Fala-se que o núcleo interno é sólido e o externo líquido. Parece haver uma inversão ao final do texto.

  • quarta-feira | 20/08/2014 | lucas
    Usuário

    gostei muito *-*

  • terça-feira | 01/07/2014 | greg
    Usuário

    muito maneiro!!!!!!!!!!!