Você está aqui Mundo Educação Drogas Barbitúricos

Barbitúricos

Barbitúricos
Barbitúricos
Os barbitúricos foram descobertos por Adolf Von Baeyer em 1864. Segundo a história, após fazer a síntese dessas substâncias, o cientista foi comemorar seu novo feito em um bar, e como a garçonete se chamava Bárbara, ele resolveu dar o nome de barbitúrico, à sua nova experiência.

Essas substâncias resultam da união do ácido malônico com a uréia, de onde se podem derivar substâncias com uso terapêutico. Os barbitúricos atuam como substâncias depressoras do Sistema Nervoso Central, são usados como antiepilépticos, sedativos, hipnóticos e anestésicos. Essas drogas foram grandemente utilizadas como hipnóticas na década de 60, até o aparecimento das benzodiazepinas.

Os barbitúricos atuam no sentido de deprimir diversas áreas do cérebro, causando sonolência, dificuldades de concentração, raciocínio prejudicado, relaxamento e sensação de calma. Devido a essas propriedades, essas substâncias são utilizadas em remédios para dor de cabeça, epilepsia, controle de úlceras pépticas, pressão sanguínea alta e para dormir.

Os efeitos tóxicos ou indesejáveis que essas drogas provocam são: falta de coordenação motora, grande redução da pressão sanguínea, vertigens, redução da urina, espasmo da laringe e crise de soluço. Essas substâncias são consideradas drogas, pois provocam a dependência física e psicológica. Sua abstinência pode provocar transpiração excessiva, náuseas, vômitos, ansiedade, taquicardia, tremor corporal, etc, por isso, existem leis e diretrizes que dificultam o acesso de uma pessoa a um barbitúrico.

Assuntos Relacionados



Deixe seu comentário para

Barbitúricos








3 comentários

Faça seu Login

  • domingo | 13/05/2012 | Marilia Aguiar...
    Usuário

    Acho que procurei na página errada. Fiz uso de barbitúricos dos 10 aos 15 anos, fato este que me trouxe muitos complexos pois fui discriminada até pelo meu irmão, mãe, etc. Era sonambula! Só isso! Agora, aos 52 anos de vida, sofro de insonia e a última tentativa foi o Gardenal. Como sou doente renal cronica, nem sei se o uso pode me afetar mais ainda a função renal.

  • terça-feira | 22/11/2011 | silas
    Usuário

    gostei d ...

  • quinta-feira | 18/11/2010 | daiane
    Usuário

    bom demais!!