Você está aqui Mundo Educação Doenças Refluxo gastroesofágico

Refluxo gastroesofágico

Refluxo gastroesofágico
O refluxo, quando não tratado, pode causar sérias complicações

O refluxo gastroesofágico ocorre quando o alimento que ingerimos volta ao esôfago juntamente com o ácido gástrico do estômago, causando uma sensação de queimação, muito conhecida como azia.

O refluxo gastroesofágico ocorre em razão de uma falha no esfíncter esofágico inferior, também conhecido como esfíncter cárdico, que funciona como uma válvula, não deixando que o bolo alimentar que está no estômago retorne para o esôfago.

Quando ocorre uma falha no relaxamento desse esfíncter, a pessoa tem refluxo. Esse refluxo pode ser fisiológico, que é considerado normal, e pode ocorrer quando ingerimos alimentos gordurosos, molhos de tomate, bebidas que contenham cafeína, chocolate, cebola, entre tantos outros; ou o refluxo gastroesofágico, que indica que algo vai mal com o sistema digestivo. Em algumas pessoas que têm refluxo gastroesofágico, ele pode ter sido provocado por uma hérnia de hiato, que é a protusão de parte do estômago para o tórax, através do orifício do diafragma.

Pessoas que têm hérnia de hiato podem sofrer de refluxo
Pessoas que têm hérnia de hiato podem sofrer de refluxo

O refluxo é mais comum em pessoas que ingerem uma grande quantidade de comida e se deitam logo em seguida, pois, como o estômago está cheio, o esfíncter terá mais dificuldade para se fechar. Pessoas obesas, mulheres grávidas e pessoas que ingerem bebidas que contêm cafeína, pois a cafeína provoca o relaxamento do esfíncter esofágico causando o retorno dos alimentos.

Em bebês, a causa do refluxo está na imaturidade do esfíncter esofágico, e é o refluxo que chamamos de fisiológico, muito comum depois das mamadas. Esse tipo de refluxo pode acometer bebês de até seis meses de vida e pode ser muito perigoso para o bebê, devendo a mãe ficar bastante atenta.

Os sintomas do refluxo são bem amplos, mas geralmente se apresentam como:

  • Azia: sensação de queimação no peito que costuma ocorrer logo após a ingestão de alimentos;
  • Regurgitação: volta dos alimentos até a boca, com gosto ácido e azedo, podendo provocar náuseas e vômitos em algumas pessoas;
  • Excesso de saliva;
  • Dores de garganta sem causas aparentes;
  • Tosse, rouquidão e asma, quando o refluxo atinge a laringe.

Se não tratado, o refluxo pode causar algumas complicações para a pessoa, como ulcerações, estenose do esôfago (ocorre quando a inflamação se torna grande, dificultando a passagem de alimentos), dismotricidade esofágica (quando o esôfago não consegue fazer os movimentos peristálticos que levam o alimento até o estômago), pneumonia, bronquite e asma (quando o refluxo gastroesofágico é aspirado e vai parar nos pulmões).

A agressão contínua às células do esôfago faz com que elas adquiram características de células intestinais, e a essa transformação damos o nome de esôfago de Barret. Em virtude dessas alterações, as células se tornam mais propensas a apresentar um câncer, podendo levar ao adenocarcinoma do esôfago.

O diagnóstico do refluxo é feito através de uma endoscopia digestiva e alguns médicos podem optar por fazer um exame chamado de pHmetria, em que é medido o grau de acidez do estômago e do esôfago.

O tratamento do refluxo dependerá da gravidade do caso. Em alguns casos, mudanças nos hábitos de vida são suficientes para que haja uma melhora. Em outros casos, o tratamento é feito através de medicamentos que diminuem a quantidade de ácido produzido pelo estômago, melhorando a motilidade do esôfago, em conjunto com uma dieta alimentar, perda de peso e atividades físicas.

Em casos graves, o médico pode optar por um tratamento cirúrgico, em que é feita uma válvula (através de uma dobra ao redor do esôfago), para que, quando cheio, o estômago comprima a parte terminal do esôfago, impedindo o refluxo.

Para se prevenir do refluxo é importante seguir algumas recomendações, como:

*        Evitar se deitar logo após as refeições, esperando de 1,5 a 2 horas;
*        Evitar comer grandes quantidades de comida de uma vez só;
*        Evitar bebidas e alimentos que contenham cafeína;
*        Evitar frituras, pimenta, molho de tomate, sucos cítricos, álcool;
*        Evitar cigarro.

Assuntos Relacionados



Deixe seu comentário para

Refluxo gastroesofágico








9 comentários

Faça seu Login

  • terça-feira | 02/09/2014 | maria regina
    Usuário

    Eu estou aguardando a quase 2 anos a guia do sus para fazer a endoscopia Tive tosse quase 4 meses seguido, Agora estou tomando remédio omeprazol. não estou mais tossindo ,não estou mais sentindo vômito o médico receitou ,novosil ,me sinti mau. parei de tomar .

  • quinta-feira | 06/03/2014 | Tereza Fumiko...
    Usuário

    Refluxo gastroesofágico tem relação com a formação de gazes intestinais? responda-me por favor.

  • quinta-feira | 06/03/2014 | Vanessa Sardinha dos S...
    1 0

    Olá Tereza. O refluxo não está relacionado com a formação de gases intestinais. Os gases geralmente estão associados com a sua alimentação.

  • quinta-feira | 09/01/2014 | claudete...
    Usuário

    refluxo pode causar cancer no esofago? quais os melhors aconselhamento para diminuir ou acabar com refluxo? o medicamento melhor para refluxo qual é?