Você está aqui Mundo Educação Doenças Refluxo gastroesofágico

Refluxo gastroesofágico

Refluxo gastroesofágico
O refluxo, quando não tratado, pode causar sérias complicações

O refluxo gastroesofágico ocorre quando o alimento que ingerimos volta ao esôfago juntamente com o ácido gástrico do estômago, causando uma sensação de queimação, muito conhecida como azia.

O refluxo gastroesofágico ocorre em razão de uma falha no esfíncter esofágico inferior, também conhecido como esfíncter cárdico, que funciona como uma válvula, não deixando que o bolo alimentar que está no estômago retorne para o esôfago.

Quando ocorre uma falha no relaxamento desse esfíncter, a pessoa tem refluxo. Esse refluxo pode ser fisiológico, que é considerado normal, e pode ocorrer quando ingerimos alimentos gordurosos, molhos de tomate, bebidas que contenham cafeína, chocolate, cebola, entre tantos outros; ou o refluxo gastroesofágico, que indica que algo vai mal com o sistema digestivo. Em algumas pessoas que têm refluxo gastroesofágico, ele pode ter sido provocado por uma hérnia de hiato, que é a protusão de parte do estômago para o tórax, através do orifício do diafragma.

Pessoas que têm hérnia de hiato podem sofrer de refluxo
Pessoas que têm hérnia de hiato podem sofrer de refluxo

O refluxo é mais comum em pessoas que ingerem uma grande quantidade de comida e se deitam logo em seguida, pois, como o estômago está cheio, o esfíncter terá mais dificuldade para se fechar. Pessoas obesas, mulheres grávidas e pessoas que ingerem bebidas que contêm cafeína, pois a cafeína provoca o relaxamento do esfíncter esofágico causando o retorno dos alimentos.

Em bebês, a causa do refluxo está na imaturidade do esfíncter esofágico, e é o refluxo que chamamos de fisiológico, muito comum depois das mamadas. Esse tipo de refluxo pode acometer bebês de até seis meses de vida e pode ser muito perigoso para o bebê, devendo a mãe ficar bastante atenta.

Os sintomas do refluxo são bem amplos, mas geralmente se apresentam como:

  • Azia: sensação de queimação no peito que costuma ocorrer logo após a ingestão de alimentos;
  • Regurgitação: volta dos alimentos até a boca, com gosto ácido e azedo, podendo provocar náuseas e vômitos em algumas pessoas;
  • Excesso de saliva;
  • Dores de garganta sem causas aparentes;
  • Tosse, rouquidão e asma, quando o refluxo atinge a laringe.

Se não tratado, o refluxo pode causar algumas complicações para a pessoa, como ulcerações, estenose do esôfago (ocorre quando a inflamação se torna grande, dificultando a passagem de alimentos), dismotricidade esofágica (quando o esôfago não consegue fazer os movimentos peristálticos que levam o alimento até o estômago), pneumonia, bronquite e asma (quando o refluxo gastroesofágico é aspirado e vai parar nos pulmões).

A agressão contínua às células do esôfago faz com que elas adquiram características de células intestinais, e a essa transformação damos o nome de esôfago de Barret. Em virtude dessas alterações, as células se tornam mais propensas a apresentar um câncer, podendo levar ao adenocarcinoma do esôfago.

O diagnóstico do refluxo é feito através de uma endoscopia digestiva e alguns médicos podem optar por fazer um exame chamado de pHmetria, em que é medido o grau de acidez do estômago e do esôfago.

O tratamento do refluxo dependerá da gravidade do caso. Em alguns casos, mudanças nos hábitos de vida são suficientes para que haja uma melhora. Em outros casos, o tratamento é feito através de medicamentos que diminuem a quantidade de ácido produzido pelo estômago, melhorando a motilidade do esôfago, em conjunto com uma dieta alimentar, perda de peso e atividades físicas.

Em casos graves, o médico pode optar por um tratamento cirúrgico, em que é feita uma válvula (através de uma dobra ao redor do esôfago), para que, quando cheio, o estômago comprima a parte terminal do esôfago, impedindo o refluxo.

Para se prevenir do refluxo é importante seguir algumas recomendações, como:

*        Evitar se deitar logo após as refeições, esperando de 1,5 a 2 horas;
*        Evitar comer grandes quantidades de comida de uma vez só;
*        Evitar bebidas e alimentos que contenham cafeína;
*        Evitar frituras, pimenta, molho de tomate, sucos cítricos, álcool;
*        Evitar cigarro.

Assuntos Relacionados



Deixe seu comentário para

Refluxo gastroesofágico








8 comentários

Faça seu Login

  • quinta-feira | 06/03/2014 | Tereza Fumiko...
    Usuário

    Refluxo gastroesofágico tem relação com a formação de gazes intestinais? responda-me por favor.

  • quinta-feira | 06/03/2014 | Vanessa Sardinha dos S...
    1 0

    Olá Tereza. O refluxo não está relacionado com a formação de gases intestinais. Os gases geralmente estão associados com a sua alimentação.

  • quinta-feira | 09/01/2014 | claudete...
    Usuário

    refluxo pode causar cancer no esofago? quais os melhors aconselhamento para diminuir ou acabar com refluxo? o medicamento melhor para refluxo qual é?

  • terça-feira | 25/06/2013 | MARIA DE...
    Usuário

    Boa noite,sempre tive problemas de acidez no estomago, de dois anos para trás vinha tendo dores horríveis no nariz,parecia uma sinusite, fiz vários tratamentos para sinusite sem exito.até que um dia minha amiga me disse que poderia ser refluxo que estava subindo pelo externo e entrando no nariz, causando-me muita tosse e sensação de gripe, o nariz sempre entupido.fiz endoscopia e deu uma pequena gastrite,pode ser isso, se for tem outro exame a fazer,quero ficar livre disso essa sensação.