Você está aqui Mundo Educação Biologia Seres Vivos Reino Monera Recombinação Genética Bacteriana

Recombinação Genética Bacteriana

Bactérias são microrganismos com uma alta capacidade de se reproduzir, apresentando basicamente a reprodução assexuada como processo de formação de novos indivíduos. Em razão dessa capacidade de reprodução em poucos minutos, uma única bactéria pode originar uma população de bactérias semelhantes à original. Esse conjunto de bactérias ocasionadas de uma “original” é conhecido como clone.

Entretanto, mesmo não apresentando reprodução sexuada, em certas espécies ocorrem processos nos quais a mistura de material genético permite a formação de bactérias diferentes. Esses processos são conhecidos como recombinação genética em bactérias e podem ocorrer de 3 formas básicas: transformação, transdução e conjugação.

Transformação

A transformação bacteriana ocorre pela absorção de fragmentos de DNA presentes no ambiente, originados de outras bactérias mortas e decompostas. Essa molécula ou fragmento será incorporado ao DNA da bactéria através da permuta de bases entre o DNA original e o fragmento absorvido. Caso haja compatibilidade nesta troca, o fragmento passa a fazer parte do material genético da bactéria sendo duplicado e passado durante a reprodução binária.

O processo de transformação foi utilizado em bactérias E. coli, para produção de insulina. Para isso, pedaços de DNA humano, com a sequência que determinava a produção de insulina, foram introduzidos em bactérias que passaram a sintetizar esse hormônio. Atualmente, grande parte da insulina comercializada provém da ação dessas bactérias transgênicas.

Transdução

É quando uma bactéria tem pedaços de seu material genético transportado para outra bactéria, através da ação de vírus bacteriófagos. Para que isso aconteça há necessidade de que, no momento em que novos bacteriófagos são formados, pedaços do DNA bacteriano sejam incorporados ao material genético viral. Com a liberação dos bacteriófagos e o ataque a outra bactéria, os genes bacterianos presentes poderão ser transferidos para o DNA da bactéria agora infectada.

Isso pode acontecer desde que a ação do material genético infectante proveniente do vírus não promova a destruição da bactéria. Assim, haverá incorporação de fragmentos do material genético. E, ocorrendo sua reprodução assexuada, haverá a formação de uma nova linhagem, modificada.

Conjugação

A conjugação é o tipo de reprodução recombinante mais conhecido. Neste evento, existe a formação de uma ponte ou pelo que conectará duas bactérias. A bactéria que doar seu material genético não sofrerá modificação, mas a receptora sairá desta conjugação modificada. Durante a ligação é transferido, da bactéria doadora, um pedaço de DNA chamado de plasmídio F (de fertilidade) que se recombina com o material genético da bactéria receptora, ocorrendo modificações.

Essa forma de recombinação é a que leva ao surgimento de linhagens de bactérias resistentes à ação de vários tipos de antibióticos, caracterizando a infecção hospitalar.


Bactéria realizando conjugação

Fabrício Alves Ferreira
Graduado em Biologia
Equipe Mundo Educação

Assuntos Relacionados



Deixe seu comentário para

Recombinação Genética Bacteriana








2 comentários

Faça seu Login

  • domingo | 16/02/2014 | David
    Usuário

    Obrigado pela informação organizada.

  • domingo | 29/07/2012 | Ruth Rosaria
    Usuário

    esse post é muito bom,,, aumentei o meu conhecimento sobre genetica microbiana... muito bom mesmo