Quimiossíntese
Nitrobacter, exemplo de bactérias quimiossíntetizantes.

Dentro de seu processo de metabolismo energético, algumas bactérias realizam processos bastante diferentes entre si. Esse fenômeno se deve a enorme diversidade de espécies e às mais variadas adaptações ao ambiente de cada linhagem.

Quanto à forma de nutrição, além da tradicional divisão dos seres vivos em autótrofos e heterótrofos, tem-se uma nova forma de referência: a utilização da energia luminosa ou não.

Têm-se, ainda, bactérias que utilizam o oxigênio em seu processo metabólico, chamadas de respiradoras aeróbicas, e outras que não toleram o oxigênio, classificadas como as anaeróbicas.

Dentro dessas inúmeras possibilidades, existe um processo conhecido como quimiossíntese que, semelhante à fotossíntese, também é um evento autótrofo, ou seja, que predispõe da produção de nutrientes orgânicos.

Ao contrário da fotossíntese, a quimiossintese é realizada sem a necessidade da captação da energia luminosa, podendo então ser realizada em lugares inóspitos, como fundo de pântanos, por exemplo. O carbono utilizado no processo também é retirado do gás carbônico, entretanto, a energia para realização das reações de síntese provém da oxidação de compostos inorgânicos como amônia, ferro, nitrito e enxofre.

Exemplo desse processo são as bactérias dos gêneros Nitrossomas e Nitrobacter que habitam o solo e desempenham o importante papel na reciclagem do nutriente nitrogênio.

Outro exemplo são as bactérias dos gêneros Beggiatoa e Thiobacillus, que realizam seu metabolismo através das reações de oxidação de compostos de enxofre.

As bactérias quimiossintetizantes necessitam, para sua sobrevivência, apenas de um agente oxidante, de gás carbônico e de água, através dos quais conseguem produzir glicídios, por exemplo. As substâncias orgânicas produzidas serão utilizadas para a formação de novos compostos ou utilizadas no metabolismo, sendo degradadas para liberação de energia.

No processo de quimiossíntese podemos destacar duas fases distintas:

1. Produção de moléculas de ATP e NADPH

Durante o processo de oxidação de compostos inorgânicos, temos a liberação de prótons e elétrons que são transportados ao longo da cadeia energética, fosforilando o ADP em ATP e a modificação reducional do NADP+ em NADPH.

Assim, diferente da fotossíntese, na qual os elétrons e os prótons provêm da quebra da molécula de água, na quimiossíntese, eles têm origem na oxidação dos compostos inorgânicos.

2. Redução do Gás Carbônico

Comparando com a fotossíntese, novamente, esta fase seria uma análoga ao ciclo de Calvin, no qual as substâncias produzidas na etapa anterior, ATP e NADPH, ocasionam a redução do gás carbônico, através de sua fixação e posterior produção de substâncias orgânicas.

Fabrício Alves Ferreira
Graduado em Biologia
Equipe Mundo Educação

Tags Relacionadas Quimio sintetizante síntese

Assuntos Relacionados



Deixe seu comentário para

Quimiossíntese








5 comentários

Faça seu Login

  • quinta-feira | 30/08/2012 | Tathá
    Usuário

    tomara que mim ajude bastante, pois tenho que dar uma aula inteira sobre a quimiossintese bjs. Mas valeu mesmo. adorei.

  • sexta-feira | 11/05/2012 | Paola
    Usuário

    Adorei! Ganhei 3 potos

  • segunda-feira | 03/10/2011 | Felipe
    Usuário

    toma que eo o consiga

  • terça-feira | 07/06/2011 | Ravelli Barbosa
    Usuário

    amei o texto sobre a quimiossintese,ajudou bastante pro meu trabalho de biologia'.Bjo