Você está aqui Mundo Educação Biologia Fisiologia Formação de uma pérola

Formação de uma pérola

Formação de uma pérola
Somente as ostras são capazes de formarem as pérolas

As ostras são animais pertencentes ao filo Mollusca e classe Bivalvia, cuja concha é dividida em duas valvas que se unem através de um ligamento. São os únicos animais capazes de produzirem as pérolas, objetos tão apreciados por joalheiros. Não são todas as espécies de ostras que conseguem produzir a pérola, sendo que as que produzem são chamadas de perlíferas, e fazem parte da família Pteriidae (de água salgada) e Unionidae (de água doce).

A produção da pérola pela ostra nada mais é do que um mecanismo de defesa do animal, quando ocorre a penetração de corpos estranhos, como grãos de areia, parasitas, pedaços de coral ou rocha, entre a concha e o manto. Quando esse corpo estranho está no interior da ostra, o manto do animal envolve essa partícula em uma camada de células epidérmicas, que produzem sobre ela várias camadas de nácar, originando a pérola. O processo de fabricação de uma pérola pela ostra demora em média três anos, e geralmente elas são retiradas com 12 mm de diâmetro.

Algumas pessoas cultivam ostras para a fabricação de pérolas. Para que isso ocorra basta inserir no interior da ostra pequenas partículas, como bolinhas de plástico ou pedaços de moluscos para estimular a produção da pérola pelo animal.

As pérolas podem ser de várias cores, como rosa, vermelha ou azul, e essas cores se devem a detritos, proteínas ou à cor interna da concha do animal. A pérola mais rara que existe é a pérola negra, e ela pode ser encontrada no Taiti e nas ilhas Cook. Pérolas irregulares não têm muito valor comercial, mas algumas em forma de gota, lágrima ou cone, são utilizadas em algumas joias.

Assuntos Relacionados



Deixe seu comentário para

Formação de uma pérola








0 comentários

Faça seu Login